Entenda como funciona a Portabilidade de Crédito

Portabilidade

Com a Portabilidade de Crédito, economizar dinheiro pagando menos no seu financiamento ou empréstimo é mais fácil do que você imagina. A primeira grande dica é sempre pesquisar no site ou no aplicativo da Negocie Com Seu Banco, as taxas de juros que os bancos estão cobrando hoje naquele produto que você já possui.

Nesta pesquisa é possível saber quais as taxas de juros mais baratas, e em quais bancos elas estão. Com esta informação, o primeiro passo é sempre negociar com o gerente do seu banco. Sempre que estiver sendo cobrado mais do que oferece o melhor banco encontrado em sua pesquisa, converse com o gerente e busque por reduções na taxa do seu financiamento atual. Algumas vezes, a taxa que o seu próprio banco pratica hoje é mais barata que a taxa de juros que você está pagando, já que o tempo passou e quando você contratou o financiamento ou empréstimo, a instituição utilizava taxas de juros mais caras. Negociar novas condições é possível e justo. Afinal, a situação do mercado hoje pode estar bem diferente da que estava quando você fez a contratação.

Caso você não consiga melhorar suas condições, mesmo sabendo que o mercado está praticando taxas mais baratas, a saída pode estar na Portabilidade de Crédito. A portabilidade é a transferência de uma operação de crédito (empréstimo, financiamento ou arrendamento mercantil) de um banco para outro, da mesma forma que se faz portabilidade de um celular, de uma companhia para outra.

Para isso você deve ter em mãos o Extrato de Evolução da Dívida Atual, que pode ser solicitado no banco. O documento deve ser fornecido em até um dia útil, sempre sem custo. O Extrato de Evolução da Dívida Atual descreve dados do financiamento, como número do contrato, saldo devedor atualizado, modalidade, taxa de juro anual, nominal e efetiva, prazo total e remanescente, sistema de pagamento (Price ou SAC); valor de cada prestação e data do último vencimento da operação. Estas informações precisam ser informadas ao novo banco, para que ele possa executar a transferência da dívida. É como se você mesmo quisesse quitar a dívida, mas precisa saber as informações pra realizar a quitação.

Com este documento e sua pesquisa dos bancos com as melhores taxas de juros, você já pode ir até a instituição que escolheu para negociar a transferência de dívida, a conhecida portabilidade. Mas antes, é sempre válido negociar bem a taxa de juro deste financiamento (ou empréstimo), já com o banco escolhido. Lembre-se que desta vez você sabe quanto é a taxa que o mercado está cobrando para este produto, e apenas solicite a portabilidade, ou transferência, se a nova taxa for vantajosa para você.

Antes de realizar a portabilidade, avalie o valor do Custo Efetivo Total (CET) da nova operação. Ela é a forma mais fácil de comparar os valores dos encargos e despesas cobrados pelos bancos. Não se esqueça de considerar custo de transferência ou seguros, especialmente para financiamentos imobiliários ou de veículos. Verifique também todas as condições do novo contrato, para que essa transferência seja realmente satisfatória.

Uma vez fechado o negócio com o novo banco, ele torna-se responsável por liquidar antecipadamente sua dívida no banco original, e o restante do saldo devedor passa automaticamente para a nova instituição, mas agora com taxas de juros menores, conforme sua negociação. Esta transferência através da portabilidade é feita totalmente pelo novo banco, e por isso não é preciso solicitar nenhum boleto para quitação do financiamento antigo.

O novo banco fará a transferência dos recursos para quitação da operação, utilizando a Transferência Eletrônica Disponível (TED), e os custos da transferência de recursos para a quitação do financiamento anterior não podem ser repassados ao cliente. O Banco que você já tem a operação contratada é obrigado a acatar a transferência em até cinco dias úteis após o recebimento do pedido de portabilidade, mas é permitido a ele tentar renegociar com seu cliente e oferecer condições mais vantajosas.

É importante lembrar que esta operação de portabilidade não é um novo empréstimo. Por isso, o valor e o prazo da nova operação não podem ser superiores ao valor do saldo devedor e ao prazo remanescente da operação original a ser liquidada. Mas não esqueça, não é preciso quitar financiamentos com taxas caras, ou quitar mais parcelas pra pagar menos. Portar a dívida para um novo banco é a melhor solução se o seu banco atual não quiser negociar taxas de juros melhores.

Outros detalhes da portabilidade podem ser obtidos no Banco Central .

Mais lidas