Seu cadastro está atualizado no banco?

Você já deve ter notado que não existem lojas de varejo, empresas de telefonia, TV por assinatura e qualquer outro tipo de comércio moderno que não insista em manter os dados cadastrais de seus clientes atualizados. É fácil compreender a importância disso para estas instituições, pois se torna possível a comunicação através de ligações, mensagens e e-mails com ofertas, novos planos e cobranças. É preciso manter relacionamento efetivo e regular, pois clientes ativos são também clientes potenciais de outros produtos. Por que então seria diferente quando o assunto são os bancos?

Ainda que essa seja a perspectiva vista pelo lado da instituição, o bom cliente tem e deve continuar tendo todo o interesse em manter seus dados atualizados. Já imaginou o extrato de sua conta sendo enviado ao endereço errado? Ou outra pessoa usar estes dados para quaisquer ações de fraude? Parece incrível, mas ainda existem propostas de crédito negadas por falta de cadastro atualizado.

Segundo normas do Banco Central, estas atualizações são obrigatórias, uma vez que as instituições financeiras precisem ter a completa identificação dos seus clientes, também para prevenir atividades ilícitas, como lavagem de dinheiro, financiamento ao terrorismo e corrupção.

Um exemplo desta preocupação é a atividade do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), órgão subordinado ao Ministério da Fazenda, criado pela lei Nº 9.613/1998. O objetivo do Conselho é receber, examinar e identificar ocorrências suspeitas de atividades ilícitas, algumas delas provenientes de alterações de cadastro de clientes.

Outra medida que atesta a seriedade com que estas questões são tratadas é a resolução 2.025/1993, publicada pelo Banco Central. A resolução detalha todos os dados que as instituições financeiras devem manter atualizadas em seus bancos de dados, assim como regras para o fornecimento de talonário de cheques e da ficha de autógrafos. A medida ainda atribui ao gerente do banco e ao consumidor a responsabilidade em manter estas atualizações.

As informações do cliente devem ser uma importante ferramenta de negócios e de suporte para o relacionamento. Se as instituições conseguem manter sempre dados fidedignos do seu cliente, é possível permitir boas avaliações de crédito, ou ainda oportunidades de oferecer produtos bancários que o consumidor não conhecia. Para o banco, quanto mais detalhamento ele tiver, mais possibilidades de definir clientes aptos para cada linha de crédito disponível.

Para conhecer mais sobre o Coaf, acesse o seu Relatório Anual.

Mais lidas