Tenha uma conta corrente sem pagar nada por isto

freedom-1396714O início de um bom relacionamento com um novo banco pode estar em uma iniciativa gratuita.

Para negociar melhores condições com seu banco, é importante saber que existe uma possibilidade simples de se iniciar um relacionamento com uma nova instituição financeira.

Esta possibilidade chama-se Conta Corrente para Serviços Essenciais, e ela lhe garante acesso a operações bancárias básicas para movimentação da sua conta. Além disso, caso você possua uma ou mais contas em outras instituições e não deseje, nesse momento, arcar com mais tarifas, ela pode ser uma alternativa para iniciar relacionamento com este novo banco, o que no futuro pode lhe render boas oportunidades para futuros investimentos e financiamentos.

É compreensível haver resistência quando o assunto é abrir novas contas em novos bancos, mas lembre-se que este pode ser o início de uma relação proveitosa e bastante duradoura, principalmente quando não tem custo algum para o cliente.

A Conta Corrente para Serviços Essenciais lhe oferece, mensal e gratuitamente , cartão de débito, 2 extratos , 4 saques, e 10 folhas de cheque, além de consultas pela internet e compensação de cheques sem restrição. Tudo isso é garantido por lei, através da Resolução 3.919/2010 do Banco Central do Brasil.

Portanto, pense que você pode sempre manter-se cliente de seu banco atual, aquele onde seus principais serviços já são gerenciados normalmente, mas ainda assim tornar-se também cliente de outras instituições. Em longo prazo, os benefícios podem ser bastante vantajosos.

Através das consultas de taxas de juros feitas na Negocie com o seu Banco, você analisa as instituições que oferecem as melhores condições para os seus interesses, e então pode avaliar a necessidade de ter de fato, sua conta corrente para serviços essenciais.

Lembre-se dos bons hábitos em se operar com um ou mais bancos, pois ter uma conta para serviços essenciais é uma vantagem, que deve ser administrada com um bom planejamento orçamentário, cautela e controle.

*Resolução 3.919/2010 do Banco Central do Brasil.

Mais lidas